Como as grandes marcas vendem em marketplaces

Escrito por Keila Boganika

27/04/2022

Ao oferecer uma plataforma acessível para os vendedores, os marketplaces viabilizaram as vendas online para milhares de empresas de pequeno e médio porte.

Para se ter noção, segundo uma pesquisa feita pelo Serasa Experian, 73% das micro, pequenas e médias empresas brasileiras começaram a vender online na pandemia de covid entre 2020 e 2021 – e os marketplaces foram um dos grandes responsáveis por esse dado e ajudaram muitos negócios a continuarem funcionando e crescendo. 

Como os marketplaces abriram as portas para tantos pequenos empreendedores, pode surgir o questionamento: marketplaces só têm espaço para marcas de pequeno a médio porte? A resposta é não! E nós apontamos alguns motivos. 

Por que os marketplaces também são plataformas para grandes empresas venderem?

Os principais marketplaces do mercado recebem milhares de acessos diários e investem em muita publicidade. Além disso, possuem clientes que pesquisam produtos diretamente no site ou aplicativo do marketplace, por vários motivos, como:

  • Os consumidores gostam dos benefícios de frete de determinadas plataformas, como é o caso dos clientes do Amazon Prime;
  • Preferem comprar diversos produtos em um só site;
  • Entendem que o site é uma referência para adquirir determinados produtos e até comparar preços.

Os marketplaces representam uma grande parcela do faturamento do e-commerce. De acordo com a 42ª edição de um estudo da Webshoppers, R$ 30 bilhões do faturamento no primeiro semestre de 2021 são de lojas que fazem parte de marketplaces. 

Portanto, a visibilidade, a oportunidade de diversificação de pontos de venda online e o bom custo benefício para a operação que os marketplaces proporcionam, favorece muitas empresas que fazem parte do seu ecossistema, incluindo as grandes marcas e multinacionais, pois é possível encontrar empresas como Apple, Adidas e Lego vendendo em marketplaces como Mercado Livre.

A dependência de uma só plataforma pode limitar uma loja a um público restrito. Por isso, é interessante diversificar os canais de venda para alcançar um número maior de clientes, tornando a marca ainda mais conhecida e a operação mais lucrativa.

Estratégias que as grandes marcas utilizam para vender nos marketplaces

Embora os marketplaces sejam plataformas com muita visibilidade, não basta apenas cadastrar seus produtos no canal de venda e aguardar que os pedidos cheguem. Até mesmo as grandes marcas precisam escolher os marketplaces certos, organizar a operação e aplicar algumas estratégias para se destacar ainda mais nas vendas.

Escolher os marketplaces certos

Nem todo marketplace faz sentido para todos os tipos de marca. A escolha dos marketplaces depende do nicho de cada negócio, do perfil de público-alvo, dos objetivos de cada empresa, entre outras características.

Por exemplo, faz sentido para uma empresa que comercializa itens eletrônicos de marcas conhecidas, como Apple e Samsung, venderem em sites como Mercado Livre, Amazon e Americanas, pois são canais com alta credibilidade e espaço para venda desse tipo de produto. Porém, não faz sentido para essa mesma empresa vender em canais como Shopee e Aliexpress, que trabalham com produtos de valores mais baixos. 

Para escolher em qual marketplace vender avalie questões como:

  • Confira se o marketplace permite a venda dos seus produtos;
  • Verifique se o público da sua loja compra no marketplace;
  • Pesquise a credibilidade e o poder da marca na internet;
  • Analise se o marketplace recebe um bom tráfego de acessos e vendas; 
  • Estude como funciona a comissão e os repasses;
  • Veja se o marketplace realiza campanhas específicas e investe em marketing;
  • Confira se o marketplace faz integração com os principais sistemas do mercado.

Organizar a operação de vendas nos marketplaces

Para iniciar as vendas nos marketplaces é necessário organizar a operação para prestar um bom serviço e não prejudicar a sua marca, por isso:

  • Selecione equipes e treine os profissionais que ficaram responsáveis pelas atividades que envolvem os marketplaces: cadastramento de anúncios, organização de estoque, separação e envio de pedidos, monitoramento de repasses, estratégia de vendas, entre outras. 
  • Verifique se participará dos programas de frete das plataformas (Americanas Entregas, Magalu Entregas, Amazon Prime, entre outros) e se também usará transportadora particular ou Correios para enviar os pedidos recebidos pelos marketplaces.
  • Faça as integrações necessárias: para vender em marketplaces é preciso ter um bom sistema de integração para unificar estoque, cadastramento de produtos, atendimento, gestão de pedidos, monitoramento, entre outras atividades.

Integrador para vender em marketplaces

Integrador de marketplace ou Hub de Integração é uma ferramenta indispensável para o lojista que vende em diferentes canais de venda online. O sistema conecta diferentes contas de uma empresa nos marketplaces, e também e-commerce próprio e o ERP (software que centraliza as informações de praticamente todos os setores de uma organização), caso o seller também utilize essas outras plataformas.

Através dessa integração multicanal, a empresa consegue gerenciar e executar todas as operações de suas vendas online em uma única ferramenta e tela, ganhando muita produtividade e reduzindo falhas nos processos.

Investir em tráfego pago

Tráfego pago são os anúncios feitos em plataformas como Google Ads e Facebook Ads para levar pessoas para a página de um produto.

Geralmente, grandes empresas já utilizam essa estratégia para gerar acessos em seu e-commerce. Porém, também é uma ótima ação criar anúncios para gerar acessos na página do produto que está sendo vendido nos marketplaces.

A própria Apple usa tráfego pago para anunciar seus itens à venda nos marketplaces. Por exemplo, na imagem a seguir, os dois anúncios destacados levam para a loja da Apple na Amazon e no Mercado Livre.

grandes marcas nos marketplaces - exemplo

Investir em anúncios dentro dos marketplaces 

Alguns marketplaces têm opções para os sellers destacarem alguns produtos no site, como colocar o produto no topo da busca, em itens semelhantes, banners, na home, entre outras posições de destaque. Por isso, confira as possibilidades de anúncios com os marketplaces que a sua marca está entrando.

Participar de campanhas e programas de benefícios dos marketplaces

Quem vende em marketplaces aproveita uma série de benefícios oferecidos em cada canal, entre eles estão as campanhas, programas de frete, possibilidade de terceirizar armazéns, entre outras vantagens. 

Alguns marketplaces criam grandes campanhas em datas como Dia das Mães e Black Friday ou promovem sua própria promoção exclusiva, como é o caso da Amazon com o Prime Day. Esses canais possuem verbas altas para divulgar as promoções e atrair ainda mais consumidores. Os vendedores podem cadastrar seus produtos para participar dessas promoções e ter seus anúncios divulgados nessas grandes campanhas.

É uma ótima oportunidade para aproveitar o alto volume de tráfego dos marketplaces sem precisar fazer grandes investimentos para vender mais.

Tentar se tornar loja oficial

Empresas que vem muito no Mercado Livre, prestam um atendimento excepcional e possuem uma reputação nível máximo, podem se tornar uma Loja Oficial do Mercado Livre. Título que permite que a empresa tenha destaque no site, uma página da loja personalizada e ainda mais credibilidade perante os compradores. 

Construir bons anúncios com foco em SEO

Se você já consome conteúdos do Conexão E-commerce, sabe que anúncios bem construídos nos marketplaces são fundamentais para ter sucesso nas vendas! Não é à toa que temos até um e-book sobre o assunto.

como criar anuncios que vendem mais ebook

Um bom anúncio de produto no marketplace precisa de:

  • Fotos de alta qualidade em fundo branco que passem credibilidade;
  • Fotos de diferentes ângulos e detalhes para mostrar como o produto é;
  • Um bom título que seja simples, mas completo;
  • Descrição clara e organizada;
  • Todas as informações importantes sobre o produto;
  • Texto original, ou seja, evite cópias de outras páginas.

Além disso, é interessante seguir as regras de SEO para construir um título e o texto descritivo dos produtos a fim da página alcançar um bom ranqueamento orgânico no Google, ou seja, estar entre os primeiros resultados de busca não pagos. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.