Como criar sua marca própria e evoluir seu negócio

19/07/2021

marca própria

Confira algumas dicas para criar sua marca própria e montar um plano de negócio de sucesso.

O marketplace permite conectar pequenos lojistas e consumidores de todo país e até mesmo do mundo. É uma opção barata e acessível já que os custos estão, quase sempre, atrelados a quantidade de vendas, além de permitir a validação do negócio e gerar escala em pouquíssimo tempo utilizando o poder de divulgação das grandes marcas que operam neste modelo.

Entretanto, é necessário traçar uma estratégia de diferenciação que permita que sua empresa sobreviva em um mercado cada vez mais concorrido. O caminho mais natural passa pela criação do seu próprio site, mas podemos ir além e criar vantagens competitivas mais duradouras para o seu negócio. Esta é a ideia central deste texto: mostrar as vantagens e desvantagens de ter sua marca própria e especular caminhos que podem ser explorados até mesmo por empresas bem pequenas e que não possuem um capital significativo para investimento.

Principais opções para criar sua marca própria e seus produtos

Saber qual produto vender é uma das principais perguntas que todo empreendedor deve responder durante a criação da sua marca própria. Para isso, há três principais caminhos que podem ser seguidos: fabricação própria, importação ou terceirização de produção.

Fabricação própria

Vantagens: controle sobre a cadeia produtiva; garantia de qualidade; maiores margens.

Desvantagens: custos com linha de produção; escalabilidade atrelada a estrutura da fábrica; eventual dificuldade com preços de matéria-prima, caso a quantidade produzida seja muito pequena.

Importação

Vantagens: sem custos com operação fabril; terceirização de mão-de-obra; acesso a equipamentos de última geração sem necessidade de investimentos em infraestrutura, já que este custo é do fornecedor internacional.

Desvantagens: tempo de importação longo, variando de 90 a 180 dias (necessidade de capital de giro); flutuação cambial e frete marítimo, altamente instáveis; custo final da mercadoria totalmente atrelado a quantidade importada, quanto mais produto, menor o custo, o que pode gerar problemas com concorrentes mais capitalizados.

Terceirização da produção – White label

Em tradução literal, white label significa “etiqueta branca”, e nada mais é que comprar o produto de algum fabricante e simplesmente substituir a embalagem por uma que contenha a sua marca própria. 

Vantagens: sem custos fixos atrelados a produção fabril; facilidades de armazenamento e compra, já que as quantidades podem ser fracionadas junto ao fabricante; agilidade no lançamento de produtos, já que a produção é terceirizada.

Desvantagens: dependência do fornecedor do produto (no cenário ideal, tem-se mais de um fabricante para cada item); custos mais elevados, já que existe a margem de lucro da empresa parceira adicionada ao custo do produto; exigência de estrutura própria de pesquisa, desenvolvimento e controle de qualidade para não criar problemas atrelados a sua marca própria.

Estratégias para fazer seu negócio crescer

Uma vez que você define a forma de “produção” dos produtos da sua marca própria, é preciso definir as estratégias de marketing e vendas. O ideal é que seu site próprio sempre tenha as melhores condições para compra do produto. Também é importante não deteriorar o preço de venda do seu produto, para garantir margens sadias.

Conheça estratégias de precificação que ajudam a manter a margem de lucro e geram valor para os seus produtos. Ao invés de reduzir o preço de venda, opte por alguma dessas estratégias:

  • Frete grátis: ofereça frete grátis para a maior quantidade de regiões possíveis;
  • Parcelamento sem juros: ofereça parcelamento sem acréscimos na maior quantidade possível de parcelas;
  • Crie kits ou ofereça brindes: ofereça algum produto complementar com custo suportado pela sua margem de lucro ou em valor equivalente ao desconto que seria oferecido;
  • Cupom de desconto: além de criar uma ideia de limitação e exclusividade, o fator tempo colabora para compras de impulso;
  • Cashback: esta estratégia é uma ótima forma de conceder descontos percebidos pelo cliente sem queimar o preço de venda do seu produto;
  • Desconto à vista: ofereça descontos somente para modalidade de pagamento à vista, o que permite manter a margem mesmo aplicando descontos, já que há redução nos custos de intermediação de pagamento.

Espero que essas dicas ajudem na criação da sua marca própria e a formular uma estratégia de vendas no seu site próprio e nos marketplaces que garanta a manutenção da sua lucratividade e a percepção de valor da sua marca, além, é claro, de diferenciar-se dos seus concorrentes!

Para acessar mais conteúdos acompanhe o blog do Ideris e siga também o Instagram do @raulovendor, autor convidado deste post. Também tem conteúdo na minha página pessoal do Linkedin: procure por Raul Prado.

Abraços e até a próxima! Tchau!

Escrito por Autor Convidado

19/07/2021

Conheça o Podcast do Conexão E-commerce!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escrito por Autor Convidado

Posts recentes

Como usar as tendências do entretenimento no e-commerce?

Como usar as tendências do entretenimento no e-commerce?

Quantas vezes você acompanhou o surgimento de um modismo - oriundo muitas vezes do entretenimento - e que desapareceu logo em seguida, tão rápido quanto apareceu? Pois é. Esse é o dilema vivido por muitos vendedores de e-commerce que muitas vezes estão atentos a novas...

E-book: Como criar anúncios que vendem mais nos marketplaces

E-book: Como criar anúncios que vendem mais nos marketplaces

Tudo que você precisa saber para criar anúncios campeões! Vender um produto pela internet é mais difícil do que aparenta! Diversas etapas estão envolvidas nessa transação, desde adquirir um estoque até garantir que cada produto irá chegar na porta do comprador. Para...