Receba a nossa NewsLetter!
Concordo com  Política de privacidade e  Termos de uso 

O Corona e o Marketplace – Como gerenciar sua operação em tempos de crise?

20/03/2020

O Corona e o Marketplace – Como gerenciar sua operação em tempos de crise


Hoje, com a crise do Coronavírus se alastrando pelo mundo, diversas empresas estão sem estoque, sem funcionários, sem fornecedores, ou até mesmo decretando falência.

São situações extremas em que vemos o pequeno empresário, ou quem trabalha como autônomo, sem ter condições de garantir seu lucro e sustento do mês, pois depende diretamente da sua presença diária para operar suas vendas, ficando impossibilitados de atender presencialmente seus clientes. São eles os primeiros que sofrem com os efeitos da crise.

Ao contrário de grandes e médias empresas que, de acordo com o seu empreendimento, já transferiram o seu trabalho para o home office, adotando um posicionamento social que coloca em primeiro lugar a saúde dos seus funcionários e familiares

Medidas extremas estão sendo tomadas em diversos países e cidades, como o cancelamento de shows e palestras, cancelamento de aulas, exposições em feiras e demais eventos públicos, mantendo aberto ao público apenas locais pontuais como supermercados e farmácias.

Na medida do possível, todos estão se mobilizando para conter esta pandemia

Para empresas que trabalham no ramo do e-commerce e investem em marketplaces, a realidade não é diferente, pois muitos produtos estão escassos por possuírem sua matéria-prima vinda da China que, hoje, é o maior parceiro comercial do Brasil e também é o epicentro da COVID-19.

Entretanto, mesmo com tamanha adversidade, empreendedores e parceiros não podem perder o foco do seu negócio. É necessário ter cautela e entender quais ações são válidas para o momento.

Quais medidas você deve tomar durante a crise?

Este é um momento para se ter calma e pensar com clareza.

Você tinha diversas questões pendentes para resolver e não tinha tempo? Resolva tudo o que for possível agora.

Organize sua agenda. 

Entenda por agenda todas as medidas que deverão ser tomadas para contornar a crise que o Coronavírus trouxe e ainda se precaver caso venha a acontecer uma outra situação semelhante no futuro.

Pense em situações como:

Conscientização: o primeiro cuidado deverá ser com a sua equipe de trabalho. Como você irá gerir seus funcionários e demandas? Se existir a possibilidade de realizar as tarefas home office, adote essa ideia!

Transparência: informe seus clientes sobre as medidas que serão executadas, principalmente em relação ao atraso nos envios e falta de produto.  

Atendimento remoto: verifique se a sua empresa possui os subsídios necessários para realizar um bom atendimento remoto sem perder a qualidade.

Controle de estoque: faça um levantamento dos produtos que ficaram parados no estoque e dos que tiveram maior quantidade de pedidos. Já antecipe sua negociação com seus principais fornecedores e verifique a possibilidade de realizar uma promoção com os produtos que ficaram estagnados.

Novos fornecedores: não dependa de um único fornecedor. Procure ampliar sua cartela de parceiros.

Anúncios: revise seus anúncios. Verifique se as fotos dos produtos estão com boa qualidade, troque as que forem necessárias. Confira se todos os produtos estão inseridos nas categorias corretas, se os seus anúncios estão com o título adequado, descrição do produto bem detalhada. Pense também nos kits que podem ser disponibilizados para os seus clientes.

Este é um momento que pode ser utilizado para organizar tudo o que for necessário e se preparar para voltar às vendas com a casa em ordem.

O surgimento de novos compradores.

Com as medidas de precaução contra o Coronavírus, o seu cliente estará em casa e ocioso, correto?

Mas não apenas ele, diversos consumidores que possuíam o hábito de comprar apenas em lojas físicas estão comprando agora através das lojas virtuais.

A procura por empresas que façam entregas em casa aumentou exponencialmente.

E muitos marketplaces acabaram tendo que abraçar uma parcela do mercado bem maior do que a prevista para as suas vendas.

Esta é, ao mesmo tempo, uma notícia boa e ruim para o e-commerce do mundo inteiro. Os marketplaces terão a oportunidade de conquistar a confiança de novos clientes em uma situação extremamente adversa, onde o público procura por alguma forma de estabilidade e segurança. 

A grande diferença está em como você irá se posicionar em frente a esta situação. Conquistar um possível cliente já sensibilizado pode não ser uma tarefa fácil.

Ao mesmo tempo, temos uma realidade já vivenciada em outros anos e em situações pontuais, que é a pouca oferta junto a uma grande demanda.

Você está apto a atender esses novos consumidores, seu estoque conseguirá acompanhar o crescimento dos pedidos? 

Como está o seu estoque hoje? 

Este é um momento para repensar a logística do seu empreendimento. Vendedores sabem muito bem que um produto parado em estoque é dinheiro que não rende, mas e se o mercado sofrer novamente com uma situação parecida, você vendedor, prefere ficar no prejuízo e sem estoque ou prefere ser um dos poucos com o produto disponível para venda?

Como otimizar o estoque? 

  • Primeiramente, não dependa apenas de um fornecedor. É regra para qualquer vendedor, se o seu fornecedor padrão sofrer alguma baixa, você sofrerá junto e ficará sem matéria-prima ou produto final.
  • Adote a ideia de separar uma porcentagem do seu lucro para aumentar o seu estoque. Mas antes, importante! Faça um estudo minucioso dos períodos de maior e menor saída dos seus produtos e como está a precificação do seu fornecedor em cada uma dessas épocas. 
  • Tenha capital de giro. Antecipe qualquer situação adversa e tenha uma quantia segura reservada para continuar operando seu negócio sem grandes interferências e prejuízos.

Acompanhar suas vendas e estoque são ações imprescindíveis para manter o seu empreendimento em movimento e saber como reagir quando o mercado voltar ao normal.

Cuidados após a crise da COVID-19

Você já deve ter notado ou vivenciado que durante esta crise, muitas pessoas, empresas e fornecedores vêm tentando se beneficiar com a escassez de produtos e matéria-prima, aumentando os preços dos produtos em relação ao que era cobrado anteriormente. E esta realidade vai continuar, mesmo após o Coronavírus.

A demanda para repor os produtos que ficaram em falta será consideravelmente alta e, muito provavelmente, os grandes fornecedores, como as fábricas chinesas, poderão querer se beneficiar da situação e atender quem fizer uma oferta maior.

Aqui, entra a sua urgência, o seu poder de barganha e, novamente, a regra de não ter apenas um fornecedor de confiança.

As reclamações dos consumidores também irão aumentar. Prepare seu suporte e atendimento ao cliente para conseguir sanar todas as insatisfações que irão aparecer por falta de produto ou atrasos no envio e recebimento.

Em suma, situações adversas sempre trazem riscos e novas possibilidades. Fique atento ao que acontece na economia e no mercado durante este período do Coronavírus, pesquise, planeje e tente antecipar ao máximo suas tomadas de decisão.

Como o seu empreendimento está se sustentando com a vinda da COVID-19?

Gostaria de indicar outro assunto para ser abordado?

Deixe nos comentários! 

Escrito por Nickolle Amorim

20/03/2020

Receba a nossa NewsLetter!
Concordo com  Política de privacidade e  Termos de uso 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escrito por Nickolle Amorim

20/03/2020

Posts recentes

O que é cross selling e up selling?

O que é cross selling e up selling?

Existem muitas técnicas diferentes para impulsionar as vendas de seu e-commerce. Uma delas é o cross selling, que pode ser muito útil para melhorar seus resultados. Mas você sabe do que se trata e de que forma utilizar ela para o seu negócio? E a diferença entre cross...

Por que vender em Marketplaces?

Por que vender em Marketplaces?

Começar a vender dentro de um ou mais marketplaces é extremamente importante para quem busca desenvolver seu e-commerce e escalar suas vendas pela internet, pois através dele, é possível expandir seu ticket médio e aumentar a visibilidade da sua marca. Os marktplaces...